Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes. Defendemos os recursos abertos e a biblioteca como centro de saber na escola.

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes. Defendemos os recursos abertos e a biblioteca como centro de saber na escola.

Ensinar e aprender em ambiente digital

O caso do 2.º B da Escola Básica de Aveiras de Cima

Março 17, 2020

O professor Eládio Gouveia, confrontado com a necessidade de usar a tecnologia para que os seus alunos,  continuem a aprender em tempo de isolamento social, aproveitou o seu canal do Youtube para lançar a sua primeira aula.

 

x.png

Desta forma, estabelece o contacto com os alunos do 2.º ano da Escola Básica de Aveiras de Cima, fazendo-lhes propostas de atividades, num discurso simples e apelativo.

 

 A segunda aula:

Promoção da leitura em ambiente virtual

Proposta 1 | Carta de uma adolescente aos adultos

Março 17, 2020

Na sequência da proposta Plano de trabalho síncrono em tempo de quarentena, o Biblio Tubers irá disponibilizar algumas atividades que poderão ser implementadas, pelos professores bibliotecários, no horário reservado à biblioteca.

Tal como referido no mencionado Plano de Trabalho, estas propostas irão incidir em ações de promoção da leitura e análise dos media.

adolescent-health.jpg

A primeira proposta, que pode ser adequada a cada nível de ensino (encurtando o texto,  simplificando a proposta de abordagem e de produção), parte de uma carta escrita por uma adolescente. Desta forma, pretende-se que os alunos, partindo das suas próprias vivências se sintam à vontade para interagir virtualmente com os colegas e com o professor bibliotecário.

Esta é, também, uma oportunidade para fomentar a partilha de leituras. Sugere-se  que seja explorado o Clube de Leituras Cool, onde os alunos poderão conhecer propostas de leitura, comentá-las ou até partilhar as suas.

 

Nesta primeira atividade de Promoção da leitura apresenta-se abaixo a proposta de exploração:

1. Os alunos são convidados, previamente, a ler, ou a ouvir, a crónica "Carta de uma adolescente aos adultos".

O texto e o convite para a leitura e/ou audição devem ser enviados atempadamente, via plataforma de gestão de aprendizagem adotada pelo agrupamento.

 

2. Na data/hora previamente acordada, o professor bibliotecário abre uma sala de conversa (sugere-se o Zoom) e discute com os alunos o texto.

Deixam-se algumas pistas para lançar a conversa:

  • Qual o impacto que os adolescentes causam nos adultos?
  • Por que razão os livros sobre os adolescentes não servem?
  • O que devem os professores fazer para motivar os alunos?
  • O que significa a expressão "deixem-nos cair"?
  • O que significa viver a 5000?
  • ....

 

3. Após esta reflexão conjunta sobre a Carta, poderá ser proposto aos alunos que criem um MANIFESTO AOS ADULTOS, que pode assumir várias formas, à escolha de cada um:

  • Som (podcast),
  • Texto (artigo de opinião...),
  • Imagem (infográfico),
  • Som e imagem (vídeo).

 

4. Poderá, ainda, ser lançada uma campanha nas redes sociais com a hashtag #manifestoaosadultos, com divulgação dos trabalhos no Twitter, Instagram e, eventualmente, no Youtube.

Oiça aqui o texto que é também disponibilizado abaixo:

Carta de uma adolescente aos adultos

por Matilde Raposo

Queridos Adultos,

Daqui escreve-vos uma adolescente. Primeiro que tudo, queria pedir que acalmassem essas hormonas. Isto porque quando se fala dos vossos filhos adolescentes, parecem as nossas.

Nós não somos um problema, não somos todos deprimidos. Temos opiniões, sabemos falar, não temos uma linguagem diferente da vossa. Queria pedir-vos também que larguem esse preconceito de que a palavra “adolescente” tem a mesma origem que a palavra “problema”. Larguem os livros que compraram sobre como lidar com um adolescente, nós não precisamos todos da mesma coisa, pelo contrário, tentem conhecer-nos, perceber o que nos faz felizes, o que nos faz tristes, o que nos magoa, as feridas que ainda temos abertas.

Motivem-nos! Nós precisamos de ser motivados, cada um de nós precisa de acreditar que tem o poder de mudar. Somos a próxima geração, não queremos ouvir “este país está a descambar”, “é tudo uma vergonha… que horror!”. Motivem-nos! É em nós que têm de pôr a pressão toda, não desistam de nós. Abram as nossas mentes, não nos deixem pensar tudo quadrado!

Quanto ao ensino… Bem, quanto ao ensino, tentem perceber que não é fácil estar 90 minutos a olhar para um professor a debitar matéria. Nesses 90 minutos há sempre alguma coisa mais engraçada para prestar atenção do que estar a ouvir o professor, por isso, tentem ensinar de outra maneira, não nos obriguem a decorar, ajudem-nos a perceber.

Deixem-nos cair as vezes que forem necessárias, nós precisamos disso mesmo, precisamos de cair. São as quedas que nos vão mostrando como somos fortes e como somos capazes de ultrapassar os obstáculos da vida. Não nos aparem os golpes, temos que aprender sozinhos.

Não nos tentem ensinar o que demoraram 40 anos a aprender. Vocês aprenderam vivendo e nós também vamos ter que viver para aprender. Deixem-nos viver, deixem-nos demorar o tempo que for preciso a aprender… Enquanto vocês vivem tudo a 500, nós vivemos tudo a 5000 e é normal fazermos de uma coisa pequena um grande drama, não se zanguem connosco por isso. Mostrem-nos que não é nenhum drama, mostrem-nos que existe solução e que há coisas bem piores.

Deixem-nos viver intensamente.

Podem ser os melhores anos das nossas vidas, é “SÓ” ajudarem-nos a viver.

Obrigada,

Uma Adolescente

 

Referência: Raposo, M. (2016). CARTA DE UMA ADOLESCENTE AOS ADULTOS – Capazes. Capazes. Retrieved 17 March 2020, from https://www.capazes.pt/cronicas/carta-de-uma-adolescente-aos/view-all/

Flipboard | criar e alimentar revistas online

Criar repositórios de conteúdos (educativos)

Março 17, 2020

flipboard.jpg

O Flipboard é uma plataforma que permite criar revistas personalizadas e facilmente atualizáveis com conteúdos da web. Considerada durante anos consecutivos a melhor app da Apple Store, é utilizada pelos media de referência, um pouco por todo o mundo.

A sua integração nas redes sociais e a existência de apps que funcionam como verdadeiras revistas nos dispositivos móveis fazem do Flipboard uma ferramenta a considerar.

O Biblio Tubers disponibiliza um pequeno tutorial para todos os que se queiram "aventurar" no mundo dos media.

Recomendamos esta ferramenta a todas as bibliotecas que queiram criar revistas digitais temáticas com conteúdos adequados ao público a que se destinam.

 

Caso queira instalar a extensão Flip It, no navegador Chrome, pode proceder à sua instalação aqui

A título de exemplo convidamo-lo a "folhear" algumas revistas de bibliotecas escolares:

 

Plano de trabalho síncrono em tempo de quarentena

Proposta de organização do tempo de estudo dos alunos

Março 16, 2020

Para ajudar diretores de agrupamento, diretores de turma e professores em geral, o Biblio Tubers sugere que a organização do tempo de estudo dos alunos seja definida por Conselho de Turma, com a criação de um plano de trabalho.

Como ainda não existem orientações concretas, sugere-se a ocupação de um período do dia (manhã ou tarde) em que os professores deverão estar disponíveis para apoiar o trabalho autónomo dos alunos. Nesse sentido, entende-se que deva ser o diretor de turma a contactar os alunos/ encarregados de educação, dando-lhes conhecimento do horário e da metodologia de trabalho, que poderá ser a seguinte:

 

1. Apresentação do horário e da plataforma onde serão lançadas as atividades por, e de, cada professor

Cada escola deverá utilizar a plataforma a que os alunos já estejam habituados. Caso a escola não utilize com regularidade nenhuma plataforma, sugere-se o Edmodo, pois, para além da facilidade de criação de salas e disponibilização de conteúdos, a sua interface, à semelhança da das redes sociais, é amigável, o que facilita a sua utilização.

 

2. Lançamento das atividades na plataforma selecionada

Os professores devem tirar partido dos recursos existentes, selecionando-os com base em critérios como: fiabilidade, credibilidade, usabilidade, qualidade e disponibilidade. Nesse sentido, sugere-se a utilização dos recursos das plataformas de apoio aos manuais escolares, pois alunos e professores já estão familiarizados com elas. Na plataforma, o professor deverá então indicar qual a atividade a realizar, diariamente, a partir dos recursos online dos manuais, devendo criar um fórum de discussão para dúvidas, ou para a apresentação de trabalhos.

 

3. Abertura de uma sala de conferência

Durante o tempo estipulado no horário, o professor deve abrir uma sala virtual, colocando o link de convite na plataforma, para que todos os alunos possam aceder.

Dada a facilidade e a qualidade  de som e imagem, sugere-se o Zoom.

Desta forma, partilham-se aprendizagens, promove-se a interação e criam-se novas dinâmicas de ensino e aprendizagem.

Apresenta-se abaixo uma proposta de horário que deverá ser adequada a cada realidade:

 

horario.png

Download do horário em .pptx

No horário, está contemplada uma hora de trabalho com a biblioteca que deverá incidir em atividades de promoção da leitura e de análise dos media, no sentido de promover multiliteracias.

A quarta-feira foi destinada à realização de um projeto interdisciplinar, pelo que os docentes deverão criar grupos de trabalho e lançar o desafio aos alunos, ou dar continuidade a projetos em curso. A título de exemplo indicam-se dois projetos:

1. Aprender nos Media | Polígrafo na Escola | Projeto sobre (des)informação online

2. Informar para conhecer | A pandemia do séc. XXI | Proposta de trabalho para DAC

Informar para conhecer | A pandemia do séc. XXI

Proposta de trabalho para DAC

Março 15, 2020

biblio.jpg

Em tempos de incerteza, quando todas as nossas relações - pessoais, profissionais, familiares, sociais - estão em stand by, cabe à Escola promover práticas - agora online - capazes de levar os alunos a descodificar a informação que os inunda e que, não raras vezes, provoca desinformação.

Às escolas, foi lançado o repto, pelas autoridades, de continuarem as atividades letivas à distância. Aos professores, é pedido que, de súbito, se transformem em profissionais do e-learning.

Cientes destes desafios e, sobretudo, da importância que assumem numa época de pandemia que nos afeta a todos, o Biblio Tubers deixa uma proposta transversal ao currículo, que poderá ser adaptada a qualquer nível de ensino. Apesar de, nesta proposta, se indicarem algumas atividades para áreas curriculares específicas, facilmente, se poderão integrar outras.

Esta proposta parte do pressuposto de que o conhecimento é transversal e não balizado por disciplinas, pelo que se insere nos chamados Domínios de Autonomia Curricular (DAC) ou nos projetos que são desenvolvidos em Oferta de Escola ou Oferta Complementar.

Propõe-se a utilização da metodologia do trabalho de projeto por ser a mais adequada a este tipo de ação que envolve os alunos em todas as etapas, desde a planificação à avaliação.

Sugere-se a articulação com a biblioteca escolar de cada agrupamento, que poderá contribuir para a criação/ atualização das revistas a disponibilizar aos alunos, bem como nas fases de pesquisa e tratamento da informação. O professor bibliotecário poderá, também, fazer sessões detrabalho sobre ferramentas digitais a utilizar durante o projeto ou para a sua apresentação final.

 

Informar para conhecer: A pandemia do séc. XXI

Clique na imagem para ver a proposta

Acreditamos que, desta forma, estaremos a formar os nossos alunos para uma sociedade que vive tempos desafiantes e que nunca mais será a mesma.

Caso tenha outras sugestões que permitam enriquecer esta proposta, envie-no-las para workprogress6@gmail.com

Reconfigurar a biblioteca escolar | boas práticas

Bibliotecas improváveis no Agrupamento de Escolas de Castelo de Vide

Março 10, 2020

Inspirada pelo artigo Reconfigurar a Biblioteca Escolar, a equipa da Biblioteca do Agrupamento de Escolas de Castelo de Vide abriu as portas da biblioteca, deixou os livros sair e espera por alunos, professores, assistentes técnicos e operacionais, pais e E.E., comunidade em geral… nas suas bibliotecas improváveis:

A tenda da leitura, a mala dos sonhos, a árvore literária e o baú dos tesouros.

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Bibliotecas Improváveis | Agrupamento de Escolas de Castelo de Vide. #bibliotubers

Uma publicação partilhada por Biblio Tubers (@bibliotubers) a

 

As bibliotecas improváveis na voz de Fernanda Cunha, professora bibliotecária do Agrupamento de Escolas de Castelo de Vide.

 

Conversas (im)prováveis com Inês Serrano e Sandra Lopes

A Educação Inclusiva

Março 10, 2020

in.png

Inês Serrano e Sandra Lopes são docentes de Educação Especial e, por isso, fazem parte de equipas multidisciplinares nas escolas onde trabalham. Assumem, por isso, um papel fundamental no delinear de projetos que favoreçam não só o desenvolvimento de competências escritas no perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória, mas também competências sociais e emocionais numa perspetiva de construção das aprendizagens pelos próprios alunos.

A Educação Inclusiva deve ter em conta "a forma particular e única de cada indivíduo aprender".

Esta conversa decorreu na Escola EB 2-3/S Pedro Ferreiro, em Ferreira do Zêzere.

Os Autores, uma espécie em decadência

A liberdade de expressão na era da Internet | Na perspetiva de F. J. Viegas

Março 09, 2020

Os Biblio Tubers apresentam "Os Autores, uma espécie em decadência", um recurso (im)provável que foca questões pertinentes, relacionadas com autores, editores, direitos de autor e internet. 

Esta proposta de abordagem parte da comunicação de Francisco José Viegas e lança pistas de reflexão e alguns desafios que podem ser utilizados em diferentes contextos:

  • Numa aula de português do ensino secundário;
  • Num projeto de cidadania;
  • Numa sessão de formação de docentes;
  • Numa aula de formação inicial de professores.
  • ....

Os Autores, uma espécie em decadência

A abordagem que se propõe deve ser adequada ao propósito a que se destina e ao público-alvo. 

Disponibiliza-se a comunicação na íntegra para que possam ser criados novos percursos. Caso queira, faça-no-lo(s) chegar. 

 

Aprender nos Media | Sustentabilidade | EPDR Alter do Chão

Proposta de exploração/produção

Março 08, 2020

A sustentabilidade é uma das áreas que mais preocupa os responsáveis políticos e as organizações ecológicas. Para os alunos que vivem no Alto Alentejo, a desertificação é uma questão central, dada a situação desta zona interior do país.

Na proposta que o Biblio Tubers apresenta, criada pela professora bibliotecária da Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Alter do Chão, Teresa Ribeiro, são lançadas três questões que fomentam a reflexão, a pesquisa e posteriormente  a ação. 

Conheça-as aqui:

VAMOS REVERTER A DESERTIFICAÇÃO!

Oiça agora a proposta na voz da professora bibliotecária, Teresa Ribeiro:

Aprender nos media | Um mar de plástico | AE de Marvão

Uma proposta de exploração/produção

Março 07, 2020

A partir da visualização do vídeo “Mar de plástico”,  os alunos são confrontados com questões relacionadas com a sustentabilidade.

Nesta proposta de trabalho, criada pela Professora Bibliotecária do Agrupamento de Escolas de Marvão, é apresentado o conceito de poluição marítima e sugeridas atividades que levem os alunos a refletir sobre o impacto negativo do lixo nas praias. 

Carla_Cordeiro.png

Clicar na imagem para a a ver maior.

Pretende-se promover a mudança de atitudes e comportamentos.

No que respeita à exploração, os alunos criam cartazes/flyers para divulgar na escola, bem como podcasts/videocasts sobre esta temática.

Oiça, aqui, o podcast criado pela Professora Bibliotecária Carla Cordeiro, do Agrupamento de Escolas de Marvão:

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twitter

Facebook