Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes. Defendemos os recursos abertos e a biblioteca como centro de saber na escola.

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes. Defendemos os recursos abertos e a biblioteca como centro de saber na escola.

Promoção da leitura em ambiente virtual

Proposta 1 | Carta de uma adolescente aos adultos

Março 17, 2020

Na sequência da proposta Plano de trabalho síncrono em tempo de quarentena, o Biblio Tubers irá disponibilizar algumas atividades que poderão ser implementadas, pelos professores bibliotecários, no horário reservado à biblioteca.

Tal como referido no mencionado Plano de Trabalho, estas propostas irão incidir em ações de promoção da leitura e análise dos media.

adolescent-health.jpg

A primeira proposta, que pode ser adequada a cada nível de ensino (encurtando o texto,  simplificando a proposta de abordagem e de produção), parte de uma carta escrita por uma adolescente. Desta forma, pretende-se que os alunos, partindo das suas próprias vivências se sintam à vontade para interagir virtualmente com os colegas e com o professor bibliotecário.

Esta é, também, uma oportunidade para fomentar a partilha de leituras. Sugere-se  que seja explorado o Clube de Leituras Cool, onde os alunos poderão conhecer propostas de leitura, comentá-las ou até partilhar as suas.

 

Nesta primeira atividade de Promoção da leitura apresenta-se abaixo a proposta de exploração:

1. Os alunos são convidados, previamente, a ler, ou a ouvir, a crónica "Carta de uma adolescente aos adultos".

O texto e o convite para a leitura e/ou audição devem ser enviados atempadamente, via plataforma de gestão de aprendizagem adotada pelo agrupamento.

 

2. Na data/hora previamente acordada, o professor bibliotecário abre uma sala de conversa (sugere-se o Zoom) e discute com os alunos o texto.

Deixam-se algumas pistas para lançar a conversa:

  • Qual o impacto que os adolescentes causam nos adultos?
  • Por que razão os livros sobre os adolescentes não servem?
  • O que devem os professores fazer para motivar os alunos?
  • O que significa a expressão "deixem-nos cair"?
  • O que significa viver a 5000?
  • ....

 

3. Após esta reflexão conjunta sobre a Carta, poderá ser proposto aos alunos que criem um MANIFESTO AOS ADULTOS, que pode assumir várias formas, à escolha de cada um:

  • Som (podcast),
  • Texto (artigo de opinião...),
  • Imagem (infográfico),
  • Som e imagem (vídeo).

 

4. Poderá, ainda, ser lançada uma campanha nas redes sociais com a hashtag #manifestoaosadultos, com divulgação dos trabalhos no Twitter, Instagram e, eventualmente, no Youtube.

Oiça aqui o texto que é também disponibilizado abaixo:

Carta de uma adolescente aos adultos

por Matilde Raposo

Queridos Adultos,

Daqui escreve-vos uma adolescente. Primeiro que tudo, queria pedir que acalmassem essas hormonas. Isto porque quando se fala dos vossos filhos adolescentes, parecem as nossas.

Nós não somos um problema, não somos todos deprimidos. Temos opiniões, sabemos falar, não temos uma linguagem diferente da vossa. Queria pedir-vos também que larguem esse preconceito de que a palavra “adolescente” tem a mesma origem que a palavra “problema”. Larguem os livros que compraram sobre como lidar com um adolescente, nós não precisamos todos da mesma coisa, pelo contrário, tentem conhecer-nos, perceber o que nos faz felizes, o que nos faz tristes, o que nos magoa, as feridas que ainda temos abertas.

Motivem-nos! Nós precisamos de ser motivados, cada um de nós precisa de acreditar que tem o poder de mudar. Somos a próxima geração, não queremos ouvir “este país está a descambar”, “é tudo uma vergonha… que horror!”. Motivem-nos! É em nós que têm de pôr a pressão toda, não desistam de nós. Abram as nossas mentes, não nos deixem pensar tudo quadrado!

Quanto ao ensino… Bem, quanto ao ensino, tentem perceber que não é fácil estar 90 minutos a olhar para um professor a debitar matéria. Nesses 90 minutos há sempre alguma coisa mais engraçada para prestar atenção do que estar a ouvir o professor, por isso, tentem ensinar de outra maneira, não nos obriguem a decorar, ajudem-nos a perceber.

Deixem-nos cair as vezes que forem necessárias, nós precisamos disso mesmo, precisamos de cair. São as quedas que nos vão mostrando como somos fortes e como somos capazes de ultrapassar os obstáculos da vida. Não nos aparem os golpes, temos que aprender sozinhos.

Não nos tentem ensinar o que demoraram 40 anos a aprender. Vocês aprenderam vivendo e nós também vamos ter que viver para aprender. Deixem-nos viver, deixem-nos demorar o tempo que for preciso a aprender… Enquanto vocês vivem tudo a 500, nós vivemos tudo a 5000 e é normal fazermos de uma coisa pequena um grande drama, não se zanguem connosco por isso. Mostrem-nos que não é nenhum drama, mostrem-nos que existe solução e que há coisas bem piores.

Deixem-nos viver intensamente.

Podem ser os melhores anos das nossas vidas, é “SÓ” ajudarem-nos a viver.

Obrigada,

Uma Adolescente

 

Referência: Raposo, M. (2016). CARTA DE UMA ADOLESCENTE AOS ADULTOS – Capazes. Capazes. Retrieved 17 March 2020, from https://www.capazes.pt/cronicas/carta-de-uma-adolescente-aos/view-all/

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

2 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twitter

Facebook