Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes. Defendemos os recursos abertos e a biblioteca como centro de saber na escola.

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes. Defendemos os recursos abertos e a biblioteca como centro de saber na escola.

Ensinar e aprender online | estratégia digital

A complementaridade entre as modalidades síncrona e assíncrona

Julho 13, 2020

Guardar em PDF

Os desafios da aprendizagem online tornaram-se relevantes no final do ano letivo transato e trouxeram com eles a necessidade de repensar o processo de ensino a distância.

Numas escolas, privilegiaram-se os momentos síncronos, noutras os assíncronos. A avaliação feita pelas escolas mostra que o ideal é tê-los como complementares. Um potencia o outro e os dois otimizam o processo de aprendizagem e os seus resultados.

1 (5).JPG

Foto de Ali Pazani no Pexels

 

Da experimentação de várias ferramentas, à tentativa de conhecer todos os recursos e de os utilizar com os estudantes, ficou certamente uma certeza: a escolha dos recursos e das ferramentas deve ser sempre pedagógica e a complementaridade de momentos síncronos e assíncronos é imprescindível, diriamos mesmo fundamental para o reforço e a promoção da autonomia dos estudantes.

A tentativa de reproduzir no digital o modelo presencial é, quase sempre, um desastre. Para além de  não colocar o aluno no centro da aprendizagem, não permite que o professor atualize a sua prática pedagógica. 

Neste artigo, o Biblio Tubers vai debruçar-se sobre os elementos a ter em conta em cada uma destas modalidades.

Comecemos pela definição que o Ministério da Educação (ME) dá, nas suas orientações para o próximo ano letivo:

Modalidade assíncrona, "aquela que é desenvolvida em tempo não real, em que os alunos trabalham autonomamente, acedendo a recursos educativos e formativos e a outros materiais curriculares disponibilizados numa plataforma de aprendizagem online, bem como a ferramentas de comunicação que lhes permitem estabelecer interação com os seus pares e docentes, em torno das temáticas em estudo."

Exemplos de atividades: fóruns de discussão, quizzes, vídeos, tutoriais, podcasts, votação, documentos digitais, ...

Modalidade síncrona, "aquela que é desenvolvida em tempo real e que permite aos alunos interagirem online com os seus docentes e com os seus pares para participarem nas atividades letivas, esclarecerem as suas dúvidas ou questões e apresentarem trabalhos."

Exemplos de atividades: sala de aula virtual (vídeoconferência), apresentação ao vivo, chat, mensagens instantâneas, webinar, ...

Algumas das atividades poderão ser dinamizadas em sessões assíncronas e/ou síncronas, consoante a forma como as utilizamos, pelo que é o objetivo pedagógico que deve ser tido em conta, quando selecionamos a modalidade, um recurso, ou uma ferramenta.

De facto, vários são os estudos (Sitzman et all, 2006) que mostram que o ensino híbrido tem resultados mais eficazes na aprendizagem dos estudantes, pois tiram partido do ritmo individual de cada um, associando-lhe as potencialidades da interação social que a modalidade síncrona permite.

Dadas as características das sessões síncronas, estas devem ser reservadas para momentos em que a interação com os alunos seja importante. Contudo, que não se descure a importância do feedback regular aos estudantes nas sessões assíncronas, uma vez que nas síncronas este ocorre em tempo real.

Uma nota final para as potencialidades da modalidade assíncrona que, para além da flexibilidade (tempo, local, diversidade de recursos, ...), favorece aprendizagens mais efetivas, pois os alunos têm mais tempo para processar a informação (aprender novos conteúdos, integrá-los e aplicá-los), para praticar e melhorar, com base no feedback que o professor irá dando.

Para isso, os docentes podem utilizar as seguintes atividades, no modelo assíncrono, assegurando uma aprendizagem efetiva  (adaptado de Dunlap e Stouppe, 2007):

  • Aprender/ Conhecer

Apresentação de diapositivos com voz, podcasts, vídeos, tutoriais, links para sites certificados, exercícios variados que permitam feedback.

  • Integrar

Animações, demonstrações, perguntas e respostas, discussões, mapas de conceitos, testes.

  • Aplicar

Excercícios que implicam a tomada de posição, estudos de caso, simulações, resolução de problemas, projetos, tarefas complexas.

 

Bibliografia:

Dunlap, J. C., Sobel, D. & Sands, D. I. (2007). Designing for deep and meaningful student-to-content interactions. TechTrends, 51(4), 20-31.

Shank, P. (2020). (The Right) Learning Modalities To Deliver Digital Learning: Part 1 - eLearning Industry. Retrieved 13 July 2020, from https://elearningindustry.com/asynchronous-and-synchronous-modalities-deliver-digital-learning.

Sitzmann, Traci & Kraiger, Kurt & Stewart, David & Wisher, Robert. (2006). The comparative effectiveness of Web-based and classroom instruction: A meta-analysis. Personnel Psychology. 59. 623 - 664. 10.1111/j.1744-6570.2006.00049.x.

 

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

1 comentário

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twitter

Facebook