Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes.

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes.

Aprender a Ser, a Ler!

A biblioteca no E@D do AE de Nisa

Julho 16, 2020

senjuti-kundu-JfolIjRnveY-unsplash.jpg

Photo by Senjuti Kundu on Unsplash

 

O Projeto "Ser a Ler", implementado pelo segundo ano consecutivo no 1º ciclo do ensino básico do AE de Nisa, tem por objetivo formar leitores competentes, ajudando cada criança a compreender as palavras, o seu contexto, a ler textos,  a dar-lhe sentido mas também a partilhar as leituras com os seus pares com recurso a atividades de pesquisa, escrita lúdica, expressão plástica, dramática, musical...

Desenvolvido pela Biblioteca Escolar, o Projeto “Ser a Ler” resulta de um trabalho de articulação com as professoras titulares, respondendo à necessidade de dinamizar a leitura como medida de promoção da melhoria do sucesso escolar. Os alunos dos diferentes anos de escolaridade ampliam os seus interesses, partilham obras muito diferentes entre si – géneros, temas, autores, ilustradores, em sintonia com os objetivos definidos nas Metas Curriculares para o 1º ciclo do ensino básico.

O Projeto “Ser a Ler” valoriza o hábito da leitura como condição de Cidadania, de encontro consigo mesmo e com os outros, lendo em conjunto, refletindo sobre comportamentos e valores, indo ao encontro dos objetivos da componente de Cidadania e Desenvolvimento, respeitando a sua transversalidade.

***

Com a imperiosa necessidade de implementação do Ensino a Distância o “Ser a Ler” lançou desafios de que resultaram imagens memoráveis!

“Formiguinha descalça”, de Matilde Rosa Araújo:

Os alunos do 4º ano, das turmas A e B, declamaram os versos deste poema. Em pijama, na sala, no jardim, em pleno campo… Simularam leituras ensonadas…  alegres… enfadadas…  enfim!... veja o resultado abaixo:

4º A:

4º B:

Pela equipa da biblioteca escolar: Fátima Dias e Maria João Biscaia

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Da aula tradicional aos ambientes educativos inovadores

A escola em modo presencial e virtual | pistas

Julho 16, 2020

Guardar em PDF

As escolas estão a preparar o próximo ano letivo e a delinear planos para as modalidades de ensino presencial, misto e a distância. Independentemente da modalidade, as escolas não podem perder a oportunidade de implementar mudanças de fundo, com recurso ao digital, e de criar cenários de aprendizagem inovadores, capazes de responder a diferentes ritmos e estilos de aprendizagem dos alunos.

sushobhan-badhai-LrPKL7jOldI-unsplash.jpg

Photo by Sushobhan Badhai on Unsplash

 

José Ángel Plaza, no artigo "Del ´aula huevera´a la hiperaula", publicado na revista Retina de junho de 2020, apresenta propostas de ensino híbrido, que implicam alterações de tempo, espaço e relação entre os atores educativos.

O Biblio Tubers deixa aqui as grandes linhas deste artigo que poderá apontar soluções interessantes para as escolas que querem inovar.

O autor reforça a ideia de que devemos manter as boas práticas do ensino a distância a que fomos "obrigados", no fim do ano letivo transato, e fazer a ponte, para garantir que não se verifica uma desconexão do processo de aprendizagem, sobretudo quando o ensino está a necessitar de uma verdadeira transformação.

Para isso, o professor deve desenhar novos cenários, experiências e trajetos de aprendizagem que ensinem os alunos a movimentarem-se na informação abundante a que têm acesso e a encontrar aí utilidade.

A aposta mais acertada é o ensino híbrido - uma mistura de educação presencial e virtual, pois, tal como refere Fernández Enguita, a chave para esta mudança é saber aproveitar a tecnologia material e as tecnologias sociais que se desenvolvem sobre ela (redes, grupos colaborativos, cooperação entre pessoas, para organizar um "contexto de aprendizagem mais útil, eficaz e eficiente").

A hiperaula (em Portugal utilizamos o conceito de ambientes educativos inovadores) prevê a implementação de novos modelos de aprendizagem que implicam a reorganização de espaços, de tempo e das relações entre docentes e estudantes:

  • Hiperespaço - mais amplo, aberto e flexível. Alberga vários professores e estudantes organizados em grupo ou individualmente.
  • Hipermédia - As atividades realizadas recorrem a todo o tipo de suportes e formatos (áudio, vídeo, imagem e texto) e passam com naturalidade do presencial para o virtual, do analógico para o digital.
  • Hiperrealidade - O uso da realidade virtual, aumentada, imersiva, tecnologia 3D, simulações, possibilita uma representação dos conteúdos mais atrativa e fomenta uma maior interação.

 

A multidisciplinaridade e o trabalho colaborativo que estes ambientes híbridos proporcionam, fomentam a autonomia da aprendizagem, o pensamento crítico e o desenvolvimento das competências consentâneas com o perfil do aluno do século XXI.

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twitter

Facebook