Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes.

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes.

O Programa de Mentorias em ação

Boas práticas em alguns Agrupamentos de Escolas

Outubro 13, 2020

No seguimento dos três artigos do Biblio Tubers sobre o Programa de Mentorias,

  1. Orientações do ME para o ano letivo 2020/2021 | O papel das tutorias e mentorias Publicado a 08 Julho 2020 [ programa de mentorias." O programa de mentorias visa estimular o relacionamento interpessoal e a cooperação]
  2. Colaborar para aprender | Cenários para 2020/21 Publicado a 09 Julho 2020 [ programa de tutorias e mentorias. A este propósito consulte o post Orientações do ME para o ano letivo 2020]
  3. O programa de mentorias no Agrupamento, descomplicado Publicado a 06 Setembro 2020 [ programa de mentorias visa estimular o relacionamento interpessoal e a cooperação entre alunos.]

vimos agora divulgar boas práticas de quatro Agrupamentos de Escolas que poderão servir de exemplo e inspiração a outros:

henry-co-9QAfsPuGFhs-unsplash.jpg

 

Tal como referimos anteriormente, este programa está previsto nas orientações do Ministério da Educação para o presente ano letivo e visa estimular o relacionamento interpessoal e a cooperação entre alunos. "Este programa identifica os alunos que, em cada escola, se disponibilizam para apoiar os seus pares acompanhando-os, designadamente, no desenvolvimento das aprendizagens, esclarecimento de dúvidas, na integração escolar, na preparação para os momentos de avaliação e em outras atividades conducentes à melhoria dos resultados escolares." 

As estratégias colocadas em prática variam de Agrupamento para Agrupamento, o que mostra os REA em ação, isto é, a reutilização das propostas feitas pelo Biblio Tubers, com as devidas adaptações à realidade específica de cada contexto.

Veja-se, a título de exemplo, a forma como é feita a escolha  dos alunos mentores que, no caso dos AE de Crato e AE n.º 2 de Abrantes, pode ser feita através de uma candidatura espontânea dos próprios alunos, ou  por indicação de um docente.

Uma nota para a forma como a avaliação é assumida no AE do Crato, pois estão previstos momentos de avaliação formal mas também informal. Ainda neste Agrupamento, as mentorias estão organizadas para que possam ocorrer nas três modalidades, presencial, misto e a distância, através de uma plataforma LMS, bem como a utilização do kit de mentoria sugerido pelo Biblio Tubers.

Abaixo, deixamos dois exemplos de duas candidaturas espontâneas de alunos do AE  N.º 2 de Abrantes que se propõem trabalhar em áreas de mentoria completamente distintas.

 

 

Ment1.png

Clique nas imagens para as ver maiores

Ment2.png

 

O Biblio Tubers vai continuar a acompanhar as estratégias colocadas em práticas pelos Agrupamentos de Escolas na implementação deste e de outros programas, valorizando os que optarem por tirar partido dos REA,  de forma descomplicada, simples e eficaz.

É este o propósito do nosso Colaboratório! (Clique na tag Colaboratório, para ler todos os posts

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

comVALOR, recursos educativos abertos para a educação

Orientações da UNESCO para práticas educativas abertas

Outubro 10, 2020

A UNESCO, na quadagésima conferência geral, que se realizou em Paris, em novembro de 2019, apresentou a Recomendação sobre Recursos Educativos Abertos (REA), onde incita os Estados membros a desenvolverem projetos e ações nesta área.

2.png

 

Pretende-se que os REA, cresçam e se disseminem, contribuindo para a criação de sociedades mais abertas e participadas. Nesse sentido, os países foram convidados a criar políticas de apoio que promovam o acesso efetivo, inclusivo e equitativo aos REA.

Em maio de 2020, face à situação pandémica vivida no mundo, a UNESCO lançou uma declaração conjunta sobre os REA, com vista à promoção de práticas educativas abertas e sobre o impacto que têm nos resultados da aprendizagem.

Nesta declaração são apresentados exemplos de sucesso que mostram que "a aplicação criteriosa de REA, em combinação com metodologias pedagógicas adequadas, objetos de aprendizagem bem projetados e a diversidade de atividades de aprendizagem, pode fornecer uma gama mais ampla de opções pedagógicas inovadoras para envolver educadores e alunos de forma a tornarem-se participantes mais ativos.” (UNESCO, 2020, Executive Summary).

Um pouco por todo o mundo têm nascido práticas de sucesso de que, entre nós, é exemplo A Banca de Conteúdos Digitais | Depósitos de VALOR

Este repositório de REA, criado pelo Biblio Tubers, apresenta-se desta forma:

Somos e estamos cada vez mais em Rede...
Uma Rede cada vez mais digital.
É nesta Rede que, cada vez mais, aprendemos, trabalhamos e nos divertimos... muito.
Na Rede encontramos tudo o que queremos, o que não esperávamos encontrar e até o que não queremos.
E como atribuímos VALOR ao que encontramos?
Depósitos de VALOR é uma banca de conteúdos digitais, em atualização permanente, destinada a quem quer conteúdos de VALOR.
Para trabalhar e aprender, mas sobretudo para fruir.
Descubra conteúdos em vários formatos e organizados em cinco grandes categorias:
  1. Biblioteca digital (autores portugueses, autores estrangeiros, livros técnicos, textos clássicos, bibliotecas digitais mundiais, teses-estudos-artigos, bancos de imagens)
  2. Revistas
  3. Recursos pedagógicos (trabalho de projeto, flexibilidade curricular, ensinar no séc. XXI, educação, recursos improváveis)
  4. Multiliteracias (literacia dos media, literacia digital, literacia política, outros)
  5. Áreas disciplinares (desde as artes, passando pelas ciências, filosofia, linguas, matemática, cidadania, entre outras).

Em dezembro de 2019, o Biblio Tubers publicou o artigo Tendências para 2020 | repositórios de recursos educativos abertos (REA) onde "dada a importância dos REA, aposta nesta tendência para o ano 2020 e insta as organizações educativas, escolas, bibliotecas, professores, investigadores a apostarem na criação e disseminação destes repositórios digitais, dado o impacto que têm na visibilidade que atribuem ao conhecimento e às entidades que o promovem, bem como os benefícios associados ao processo de ensino e de aprendizagem".

O comVALOR é por isso um repositório de conteúdos educativos abertos, feito por professores, que visa disseminar esta prática e contribuir para a criação de organizações aprendentes e inovadoras que se distinguem das tradicionais.

 

Veja como usar o site:

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Wikipédia: fiável ou não?

Os factos falam por si

Outubro 06, 2020

Muitas são as dúvidas que algumas pessoas têm sobre a tão conhecida Wikipédia.

Mas os dados não deixam dúvidas e apontam para uma utilização massiva (6.º site mais usado em Portugal e o mais acedido no mundo) e quem, de entre nós, nunca a utilizou nas suas pesquisas?

O Biblio Tubers procura, neste artigo, dissipar as dúvidas sobre a Wikipédia.

2.png

 

Começamos com os dez factos sobre a Wikipédia que a maioria de nós não conhece e que ajudam a dissipar alguns malentendidos.

  1. Não está à venda
  2. O trabalho pertence a todos
  3. Fala javanês
  4. Não se pode simplesmente mudar qualquer coisa na Wikipéd
  5. Zela muito pela qualidade do conteúdo
  6. Não quer que se acredite nela cegamente
  7. Não está sozinha
  8. São apenas compiladores de informação
  9. Não é uma ditadura
  10. Está aqui para ficar

Vários são os estudos que têm sido feitos sobre esta enciclopédia cuja característica principal é a contribuição aberta e livre das pessoas. 

Em vez de desencorajar o seu uso, os professores devem mostrar as suas vantagens e desvantagens, promovendo a sua correta utilização. Esta pode passar por formação que ensine como criar, editar e avaliar artigos da Wikipédia (consulte um exemplo).

Ao contrário do que pensamos, o facto da Wikipédia assentar num modelo de contribuição aberta assegura a correção célere de qualquer informação menos correta.

A Wikipédia pode não ser perfeita, mas é o expoente máximo da democratização do conhecimento e o seu modelo aberto beneficia-nos a todos.

Este vídeo é de 2010.

 

Bibliografia:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Ensinar e aprender no Séc. XXI: Os (novos) saberes

A aprendizagem ao longo da vida. O papel da Escola

Outubro 03, 2020

No âmbito das Jornadas de Utilização Pedagógica das TIC, organizadas pelo Instituto Politécnico de Leiria, no dia 2 de outubro de 2020, Jorge Borges (PNL 2027) dissertou sobre os novos saberes do (no) séc. XXI e sobre o papel que a escola deve assumir neste desiderato.

ipl.jpg

Clicar na imagem para visualizar a transmissão

 

Esta comunicação assumiu um caráter provocador, pois levou os participantes a questionarem-se sobre três aspetos fundamentais:

1.º A formação contínua de professores

2.º A introdução da tecnologia nas políticas educativas em Portugal

3.º O papel do saber informal na Escola

4.º A centralidade da curadoria digital

Esta comunicação começou com uma reflexão em torno do Plano de Ação para a Capacitação Digital dos Professores, anteriormente apresentado pela diretora do Centro de Formação LeiriMar, Olga Morouço, e pela necessidade de ter em conta os ensinamentos do passado e os contributos do presente para que este plano de formação permita mudar práticas e não se cinja a questões técnicas, nomeadamente a utlização de determinadas ferramentas digitais.

A questão da aprendizagem, informal e em Rede, - o foco da comunicação - levou o orador à sociedade primitiva e à forma como o homem aprendia no passado e como aprende no presente. Que na essência não é diferente. Cada época tem a sua tecnologia, de acordo com a sua utensilagem mental, como se demonstrou com o caso do abade Marin Mersenne que, no séc. XVII, manteve uma  Rede, na Europa culta da época, com mais de 200 correspondentes. Enciclopedista, escrevia o seu pensamento e fazia-o chegar a cada um deles. Estes respondiam e ele coligia a informação. Criou uma obra com mais de 30 tomos. Este sábio comportou-se como um autêntico servidor, recorrendo à "tecnologia" de que dispunha na altura. Isto prova que o mais importante, em qualquer altura da história, é o fator humano.

As sociedades evoluem hoje a um ritmo vertiginoso, o que catapulta a aprendizagem ao longo da vida para primeiro plano, tornando a curadoria incontornável no processo de aprendizagem. É este processo que nos permite chegar ao conhecimento, pois facilita e alimenta o processo de aprendizagem, isto é, a transformação da informação em conhecimento, em qualquer idade, nivel de escolaridade e área profissional.

 

Ensinar e aprender no Séc. XXI: Os (novos) saberes

Na parte final, Filipe Santos, docente do Instituto Politécnico de Leiria e responsável pela organização das Jornadas, teorizou de forma notável sobre o conteúdo das comunicações, a partir dos comentários dos alunos.

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twitter

Facebook