Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes.

Biblio Tubers

Pensamos a escola como sistema aberto, capaz de refletir a sociedade e de responder aos desafios contemporâneos. Acreditamos no poder da partilha e das redes.

Aprender com os Media | Cidadania e intervenção | AE Nisa

Uma proposta de escrita/intervenção

Fevereiro 26, 2020

Esta proposta de trabalho pode ser implementada em qualquer ano curricular, no âmbito da componente de Cidadania e Desenvolvimento ou DAC (tendo por base os 17 ODS e os Domínios de Cidadania e Desenvolvimento – Direitos humanos, multiculturalidade, igualdade de género, sexualidade, saúde, voluntariado, empreendedorismo).

Para além da utilização adequada dos media, pretende-se  também que seja a motivação para criar gosto pelo cinema, pela leitura e reflexão cada vez mais autónoma e crítica.

Fatima_Dias.png

A proposta de exploração, criada pela professora bibliotecária do Agrupamento de Escolas de Nisa, Fátima Dias, parte da visualização da curta “História trágica com final feliz”, de Regina Pessoa.

Segue-se uma fase de partilha de  vivências dos alunos, com o que pensam, sentem e imaginam, convocando as experiências vividas “dentro” e “fora” do filme, no domínio dos valores éticos.

Posteriormente, os alunos são levados a analisar diferentes media e a identificar curtas/documentários/notícias… a partir dos quais possam redigir diferentes tipologias de texto.

História Trágica com Final Feliz from Curtas Metragens CRL on Vimeo.

Oiça, aqui, o podcast criado pela Professora Bibliotecária Fátima Dias, do Agrupamento de Escolas de Nisa:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Aprender nos media | Texto de opinião | AE Mação

Propostas de exploração e produção

Fevereiro 26, 2020

Nesta proposta de trabalho que parte dos Media, os alunos são levados numa viagem pela história da escrita, do livro e da biblioteca. 

António_Bento.png

Clique na imagem para a ver maior.

Uma proposta de exploração e produção elaborada pelo professor bibliotecário do Agrupamento de Escolas de Mação, António Bento, que promove a reflexão sobre a forma como a biblioteca foi vista ao longo dos tempos e o papel que assume na sociedade atual.

A partir da visualização do vídeo “Nascido para ler - Eu quero a minha Biblioteca”, os alunos são levados a refletir sobre a importância da biblioteca na escola. Dadas as características do texto, com uma descrição cronológica da evolução da escrita e dos seus suportes, este vídeo poderá também ser trabalhado na disciplina de história.

Na proposta de exploração, os alunos serão convidados a criar um texto de opinião e um podcast, sobre a importância da biblioteca na escola.

Oiça, aqui, o podcast criado pelo Professor Bibliotecário António Bento, do Agrupamento de Escolas de Mação:

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Aprender nos media | O jornalismo como serviço público

Informar e educar | O papel dos media

Fevereiro 26, 2020

Na sequência do post O polígrafo na escola, o Biblio Tubers traz hoje um excelente recurso para levar os alunos a refletir sobre o papel que os media têm para informar e educar os cidadãos.

mediatv.png

Clique na imagem para a ver maior.

É um pequeno excerto da série The Newsroom (temporada 1, episódio 3), protagonizado pelo jornalista Will McAvoy (representado pelo ator Jeff Daniels) e que é utilizado aqui para fins educativos.

O jornalista assume que falhou perante a missão de informar o público, movido pela necessidade de criar audiências. Ciente de que a democracia só é eficaz se o eleitorado estiver bem informado, assume uma nova orientação para o seu jornal televisivo, em que as insinuações, especulações e polémicas são banidas. O que interessa é a verdade simples. Os factos. 

Era isto que defendiam William Paley e David Sarnoff, o Colombo e o Magalhães do jornalismo televisivo, como o protogonista os apelida. Foram eles que fizeram um acordo com o Congresso para que se criasse uma hora diária de notícias para informar os cidadãos. E assim nascia o jornal televisivo como serviço público.

Não podemos deixar de destacar a seguinte tomada de posição do jornalista:

"não somos empregados de mesa num restaurante, a servir-vos as histórias que pediram da forma como gostam delas. Nem somos contadores que debitam apenas os factos, porque as notícias só são úteis no contexto da humanidade".

No infográfico, o Biblio Tubers deixa algumas pistas de exploração que poderão ser adaptadas e trabalhadas em qualquer área curricular ou disciplinar.

Oiça aqui uma breve apresentação desta proposta do Biblio Tubers:

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Twitter

Facebook